Uma afirmação que sempre escuto, tanto dos casais e debutantes quanto dos cerimoniais, é que degustação de doces é uma das melhores partes do planejamento. Poder sentar e escolher as delícias da festa parece ser tão esperado que os clientes desejam muito e geram expectativas enormes com essa etapa.

E pra falar bem a verdade, doce tem esse poder quase hipnotizantes mesmo. Doce traz euforia; doce produz conforto; doce acalenta; doce tem a capacidade de tocar a alma e resgatar lembranças.

Mas qual o objetivo real da degustação? Como aproveitar ao máximo esse momento? O que levar em consideração nas comparações?

A degustação, quando oferecida em cortesia, ou até mesmo quando comprada, é uma demonstração de gentileza e cuidado do fornecedor: Produzir e separar os doces, agendar um horário, dispor do tempo para apresentar o trabalho, esclarecer dúvidas, auxiliar com dicas na montagem do cardápio… vai muito além de obrigação e, se bem prestado, já é um diferencial a ser considerado.

QUALIDADE é a palavra chave quando se pensa em degustação. Não é sobre sentar com uma bandeja de doces e comer por comer. Atestar a qualidade é o principal e real objetivo. Ao final, você deverá ser capaz de contratar qualquer item do cardápio pela segurança  conquistada pelos itens que provou.

Sempre indicamos fazer o menor número de degustação de doces necessária. Selecione os principais fornecedores que quer conhecer e agende com eles, dois ou três no máximo e nunca no mesmo dia. Degustação não é série Netflix pra ser “maratonada” 😉. Quantas clientes se perdem no caminho pelo tanto de fornecedores de doces que já visitou. Já ocorreu de atender cliente que já havia feito duas degustações horas antes do nosso encontro. Impossível aproveitar esse momento! Certamente o objetivo de atestar a qualidade é perdido porque o paladar já está saturado com o açúcar. Nunca faça duas degustações de doces  no mesmo dia (e aqui vale também para bolo e bem casados).

Pela visão do cliente que agenda uma degustação, esse é um momento de comparação, julgamento e escolha. Aqui caberia um texto enorme de “como se comportar em uma degustação”, mas acho que vou deixar pra outro dia e vou me ater apenas nas dicas de como concluir esse processo tão prazeroso da escolha dos doces.

  1. Preço: O fator preço não deveria ser um quesito em julgamento após degustação. Antes de agendar consulte os preços do fornecedor. Se ele não se enquadra no seu orçamento, não agende! Degustação é atendimento para vendas. Então se o preço está fora do que pretende, seja honesto e não agende.
  2. Valor: ates de decidir pelo preço estampado no catálogo, tente encontrar o real valor do produto do seu fornecedor. Nem tudo o que parece ser igual realmente o é. Busque o diferencial que cada um oferece, por exemplo: ingredientes utilizados, variedade de cardápio, exclusividades, relação sabor x estética, relação preço x gramatura (peso) – Afinal, o que é mais barato, um doce de 11g por R$ 2,00 ou um doce de 20g por R$ 3,00? – 😉 Feedbacks positivos, indicações, formação e especialização. CONTRATAR UM ESPECIALISTA EM DOCES FAZ TODA DIFERENÇA E AGREGA VALOR À SUA FESTA.
  3. Qualidade: muito mais do que sair da degustação com uma lista de prediletos e queridinhos, a cada item provado deve-se averiguar alguns quesitos, como: intensidade de sabor, textura, maciez, chocolate de verdade, brigadeiro derrete na boca, frescor… tudo isso associado ao tempo de produção do doce (se um doce foi produzido só para degustação, pode dar falsa sensação de qualidade. O ideal sempre é provar o doce como será entregue na festa)Se esses quesitos se repetem ao longo de toda degustação você terá segurança de contratar qualquer item, até mesmo aquele que não provou e o objetivo da degustação terá sido alcançado.
  4. Paladar: Prove apenas o que gosta. Se você não gosta de cereja, não tente provar um doce com cereja. Se você não curte nozes ou coco ou amendoim ou damasco ou qualquer outro ingrediente, deixe essa função para alguém que goste ou ateste a qualidade por outro item que realmente goste, pois você não terá propriedade em opinar sobre algo que não curte e isso não quer dizer que o doce não seja incrível!
  5. Ouvido: escutar as dicas de quem realmente entende de doces é um caminho de Luz na montagem da mesa perfeita. O profissional doceiro é quem mais conhece, entende e pode te dar Feedback sobre cada item do cardápio.

Por fim, sempre dê retorno após uma degustação. Responder ao fornecedor é a melhor forma de finalizar esse processo, seja com a contratação ou com um honroso agradecimento pela degustação oferecida. É educado, gentil e empático!